Skip to main content

Família Opressiva? Por que seguimos padrões familiares?

Família Opressiva? Por que seguimos padrões familiares? 


Para essa pergunta, a resposta à primeira vista parece óbvia, e até é, contudo, isto não significa que seja superficial, muito pelo contrário. 
Tudo nesta vida, EXATAMENTE TUDO, está ligado a nossa identificação com o externo(portanto há aquilo internamente em nós).
Na constelação familiar trabalha- se muito profundamente a ordem do amor e seu emaranhamento, e no thetahealing, por sua vez, trabalha-se o sistema de programação de crenças em suas mais variadas origens.
Voltando a pergunta título "por que seguimos padrões familiares?", a resposta tanto dada pela constelação, quanto pelo thetahealing é a mesma em seu pano de fundo, IDENTIFICAÇÃO. 
Veja a seguinte situação: sigo o fracasso amoroso da família porque me identifico com a situação, e concomitantemente, me identifico porque há em mim uma crença na qual me faz manter o padrão familiar (faz sentir-se aceito pelo grupo, inclusive).
DIRETO AO PONTO!
Quer sair de alguma sistêmica que já não faz sentido em sua vida? 
Perceba sua origem, se é familiar, não é necessário ter a crença de que para pertencer a família precisa acreditar nas mesmas coisas que a família acredita, DESIDENTIFIQUE-SE de crenças nocivas, podemos "pertencer" a um grupo, mesmo tendo visões que distoem dos outros, o AMOR não é subserviente, ao contrário, é RESPEITÁVEL E DEMOCRÁTICO.
E tratanto de reprogramação e identificação, eles mesmos valores de respeito devem estar em nós. 

Todo trabalho de reprogramação deve ser feito por um profissional habilitado. 
Contato para Atendimento Terapêutico, Thetahealing e Palestras :
autorlucasleonardo@gmail.com 

Comments

Popular posts from this blog

Signos & Crenças - Libra & Escorpião

Signos & Crenças - Libra & Escorpião

LibraGentileza é uma referência para os librianos, assim como a busca pelo equilíbrio, o encontro entre a razão e a emoção. Signo de idealização, vê em suas principais características os lados oposto da face. IDEALIZAR: imaginar-se de maneira ideal, projetar. O PODER DE LIBRA: Buscamos o equilíbrio de tudo na vida, nem tanto ao céu e nem tanto a terra, e os librianos carregam em seu arquétipo esta lição para nos dar. A todo momento estão analisando o próprio passo, mesmo porque não gostam de voltar atrás de decisões tomadas. Muitos falam exatamente da demora em suas analises referindo-se a algo negativo, e isso tem muito a ver com a idealização dita acima. O que pode tornar o poder uma fraqueza?A questão não é o idealizar, é bom que saibamos o que queremos, mas melhor ainda quando sabemos reconhecer que o resultado foi outro e precisamos estar abertos para lidar com uma realidade inesperada. Evitando apegos, e estando livres para o que surgir fora d…

Expresso

Cansado de resolver problemas alheios?
Uma das ferramentas usadas em terapia para que o cliente tenha resultado rápido quando estiver fora de atendimento, e que o faz sentir seguro para tomada de decisão, é a desidentificação.  Desidentificar do "problema" é proporcionar aquele que está envolvido na situação um olhar de fora, retirando sua carga emocional do que precisa resolver e das pessoas envolvidas no "conflito". Esse olhar de fora passa a ser feito pelo próprio observador. Prova de que o resultado para identificar a SOLUÇÃO é rápido, se dá quando alguém pede nossa opinião sobre o problema alheio. Naquele momento, não temos vínculos emocionais com o desafio da outra pessoa, por isso a solução aparece de forma clara e até mesmo com os movimentos que o outro deve fazer para ter êxito.  Se consegue encontrar solução para o outro, consegue o mesmo para você.  Nesta técnica, após encontrar a solução, pode acontecer de identificar espontaneamente uma crença que fazia voc…

Por que a felicidade dá medo?

Por que a felicidade dá medo?

Há uma certa crença- social, inclusive- de que a felicidade poderá nos trazer SOLIDÃO, pois as pessoas que não atingiram o estado de felicidade sentiriam-se ultrajadas por aqueles que o atingiram, como um desrespeito à dor do infeliz.  Assim sendo, optamos em ter parte de uma felicidade, para pertencermos a alguma parte da sociedade. E nessa história vivemos parte de quem somos e auxiliamos a construir uma família em partes, um grupo de amizade, uma sociedade de partes, ao invés de inteiros.  Há uma inversão subconsciente de valores, se estamos infelizes, temos companhia, se estamos com problemas, temos companhia, ao invés de acompanharmos aqueles que nutrem e nos mostram o caminho da felicidade, da SOLUÇÃO. (Não há felicidade no problema, e se acreditar nisso, poderá estar fazendo movimentos de projeção ). O medo da felicidade pode vir da sensação de estar traindo aquele que sofre, e isso trazer culpa. Não caia nesta cilada, mesmo porque para dar a mão p…